quarta-feira, 10 de março de 2010

Primeiro Ato (ou Prefácio)

É por meio deste que adentro no mundo cibernético dos textos digitalizados, o mundo dos brógui! Pois bem, ainda não sei ao certo sobre o que ou com que freqüência eu postarei aqui... acho que vai ser sobre tudo e até sobre nada. Desde aquela piada medíocre ou do raxinha com os brother até a política tupiniquim ou a situação psico-socio-cultural da humanidade na pós-modernidade, entremenhando-se pela música, cinema, literatura e futebol pelo caminho, tudo que me parecer assaz válido de explanação eu compartilharei com vossas senhorias.

O grande problema é que o turbilhão de idéias e pensamentos (cretinos, na maioria) que vagam pela minha cabeça de vento tem como destino, tão somente, essa mesma cabeça. Visto que, minha preguiça – e minha atribulada vida de desocupado, é claro – impedem um mínimo esforço para passá-las para o papel ou para o microcomputador pessoal. Foi com o intuito de eternizar esses fulgazes pensamentos - mesmo que somente para mim – que eu fiz esse troço, e é tendo em vista esse intuito que eu batalharei incansavelmente contra minha mazela e comparecerei o máximo possível a esse recinto.

Bem, apesar de ser um declarado admirador de nossa língua pátria (o português, para quem desconhece), eu não tenho lá grande domínio da mesma. Dito isto eu peço encarecidamente que perdoem os erros – com exceção dos grotescos – que, por ventura, acontecerem. E que fique claro que, por questões didáticas e ideológicas, eu não abrirei mão dos regionalismos, das gírias e das expressões características do meu dia-a-dia.

Quem, por acaso, vier a ler meus pobres textos e não curtir, por favor, não venha com desprezo ou humilhações, minha mãe acha que eu não mereço isso e ficaria muito triste. E, provavelmente, isso aqui não deve ter sido feito pra você. Use drogas, olhe o mundo, viva e depois volte, ou não. No mais, vamos ver no que vai dar essa fulerage.

Que a vida lhes seja leve.

Nenhum comentário:

Postar um comentário